Guias de Viagem e Arte

 
 
out 24 2006

O primeiro grande desafio ! (A Saga do Caminho 10)

De repente você se desperta e percebe que cem pessoas já saíram do enorme salão aonde todos dormiam e que você sequer percebeu! É meio surreal! Mas nunca dormi tão bem em toda a minha vida! E efetivamente, quando acordamos já eramos poucos no albergue. Mas não nos incomodamos, neste dia necessitávamos todas as nossas forças, teríamos pela frente nosso primeiro grande desafio: 36,97 Km.
Caminho de Santiago

Depois de passar pelo povoado de Grañon, em poucos quilômetros se entra em uma nova comunidade autônoma, a enorme Castilla-León. Esta parte do caminho é mais plana, muitos peregrinos dizem que é meio chata e monótona, mas nós adoramos! Talvez pelo fato de morar em uma ilha, e de ter esta inusitada sensação dos olhos se perdendo no largo horizonte, sei lá … As pessoas são super amáveis e os pequenos povoados são muito bonitos, e ademais a comida é bem mais barata que em Navarra e La Rioja. E não é só isso, a taxa dos albergues também é bem menor. Poucos albergues até chegar em Galícia não cobram taxa de permanência, e quando se chega em Galícia todos os albergues públicos (da Xunta de Galícia) são grátis, mas a partir do próximo ano estes albergues também passaram a cobrar uma pequena taxa.

De Santo Domingo de la Calzada até Belorado, aonde a maioria dos peregrinos para, são cerca de 22 Km, mas nós queríamos seguir … acontece que eu, Patricinha, necessitei fazer um stop em Belorado porque tinha que curar minhas novas bolhas … E acabamos saindo desta cidade às quatro da tarde! E ainda faltavam muitosssssssssss quilômetros.
Caminho de Santiago

O legal é que neste trecho haviam vários povoados e construções de cair o queixo, como a Ermita Virgen de la Peña, escavada na rocha e outras ruínas históricas do século VI.
Caminho de Santiago
Caminho de Santiago

Em alguns momentos nós construíamos estórias para nos divertirmos um pouco e esquecer dos quilômetros … Neste dia, criamos a figura do adversário, por que adversário? Porque como sempre chegávamos tarde nos albergues, e muitas vezes não havia lugar, todos que nos passavam eram nossos adversários “de cama”, não que nos importasse muito, mas era divertido. Neste dia em particular foi genial, o Antonio percebendo que minha moral estava meio baixa depois de Belorado, começou a dizer: Tá vendo aquele sujeito (estava atrás de nós, e não se via bem, quer dizer, estava longe) é nosso adversário e não podemos deixar que nos ultrapasse! E com esta estória nos sentíamos como em um jogo, e apesar das três novas bolhas que explodiram em meus pés, eu consegui chegar!

Quero deixar bem claro que não tínhamos o espírito de alguns viajantes de chegar ao albergue (o que é horrível!), e sim nos divertíamos com este tipo de jogos, porque senhores e senhoras não é fácil passar quase 30 dias caminhando … e com outra pessoa, que tem de aguentar tuas dores, teus desânimos, teus enjôos, por isso hay que tener alegría y un poco de cachondeo!!!!!!!!!!!!!!

Pois, chegamos já ao final do dia em Montes de Oca, e claro que dormimos no chão. E adivinhem?! Conhecemos nosso adversário (hehehehehe) e jantamos com ele, um italiano que como nós caminhava pela manhã e tarde ( a maioria dos peregrinos sai super cedo e caminha somente pela manhã). E ele sem saber me ajudou a chegar a meu destino deste dia. É impressionante como nossas ações afetam a outras pessoas sem que nem sequer saibamos de nossa bondade ou maldade …

Quer ficar sabendo quando saem os próximos posts?
Então curta nossa página no Facebook, clicando aqui.
Siga o nosso Twitter @turomaquia.
Viaje com a gente no Google+ – google.com/+TuromaquiaViagens
Inscreva-se no nosso canal no YouTube, e seja o primeiro a ver nossos videos Turomaquia.
Veja nossas fotos no Instagram – Turomaquia.

Posts relacionados:
Tudo que é bom … (de Saint-Jean-Pied-De-Port a Roncesvalles)
Dificuldades … (de Roncesvalles a Zubiri)
Eu x Eu (de Zubiri a Cizur Menor)
Perdão e Reflexão (de Cizur Menor a Puente de la Reina)
Eu necessito … (de Puente de la Reina a Estella)
Da fonte de vinho a pocilga (de Estella a Los Arcos)
A chegada a La Rioja (de Los Arcos a Logroño)
Um lugar abençoado por Deus … (de Logroño a Ventosa)
O importante não é chegar … é ir! (de Ventosa a Santo Domingo de la Calzada)

Imagens: turomaquia_2006

4 Comentários

  1. Kharina

    Ai Patty, minha ida pra Europa vai ter que esperar mais um pouco.Meu pai ta me fazendo mil propostas pra eu voltar logo, sabe como eh pai ne!!Mas logo eu vou. Espero que ano que vem.Vc volta pro Brasil algum dia??beijosah, continua escrevendo… to adorando

    responder
  2. silvia oliveira

    Achei curioso o título do post: “o primeiro grande desafio”.Você atravessa os pirineus e acha que esse (o novo post) foi o 1º grande desafio? ;-)Mi niña, só de pensar em andar 10 quilômetros… eu volto correndo para a cama, deito e espero a vontade passar!Sinceramente, este caminho é mais grandioso – no sentido mais amplo da palavra – do que jamais pode sonhar minha filosofia…

    responder
  3. Turomaquia

    Existe algo no caminho que te impulsiona a seguir adiante, e nem estou falando de fé (que também poder ser!) …

    responder
  4. Tatiana

    Adorei este relato. Temos que criar nossas motivações. Eu estou planejando para fazer o caminho com meu namorado em 21, pois é o próximo ano Xacobeo. E tenho ilusões de chegar a Santiago em 25 de julho, por ser o dia do Santo mas sobretudo por que é comemorado o dia do Galego. Estou lendo cada um de seus relatos e amando, pois como pretendo fazer em casal, contém dicas preciosas. Sei que cada caminho é individual mas ler suas palavras está nos motivando muito. Obrigada

    responder

Siga o Turomaquia no Instagram

Instagram

Instagram has returned invalid data.

Follow Me!