Guias de Viagem e Arte

 
 
jun 04 2010

Versalhes: um caso de amor ou ódio!

Nem o gigantesco portão dourado da entrada era capaz de retirar-me do estado de letargia que me encontrava. A noite anterior retumbava literalmente na minha cabeça. Caminhava mal e porcamente. A champagne ainda circulava no meu sangue. Eu lá queria saber de reis e rainhas. Sorria ao lembrar dos agudos: “Paris” do show do Lido, e nas mil e uma transformações do palco. Mas tinha que me manter em pé, viajar em três pessoas demanda sacrifício em nome do grupo.

Palácio de Versalhes

Uma troca de olhares com Soraya. Lembramos sem dizer nada do incidente da madrugada. Acordei com ela praticamente respirando no meu pescoço, a cama daquele mequetefre hotel havia quebrado para meu lado, e ela simplesmente havia deslizado na cama de casal na minha direção. Ou melhor, meu corpo parou sua queda direto ao chão!

Mademoiselle, escuto uma voz, deve ser realidade, não é sonho. Tenho que entrar. Tudo pelo dever turístico e da amizade. Lembro que a Sala dos Espelhos ainda não havia sido reformada e tudo estava meio escurecido. Caminho e muito, mas a única recordação que tenho é de que Maria Antonieta dava a luz perante um montão de gente. Aquilo me impactou de tal maneira que quaaase sai daquele estado moribundo.

Palácio de Versalhes

Quando por fim terminamos o palácio, e saímos ao jardim, confessei às meninas que não seria capaz de seguir em frente. Os jardins eram intransponíveis naquele exato momento. Portanto, demos por finalizada a visita. Balanço: indiferente, mas pensei que era o cansaço e a bebida que falavam mais alto. Divaguei: um dia voltarei.

E foi assim. 3 de março de 2010, totalmente descansada e disposta a percorrer palácio, jardins e outros recintos saio de manhã com outra amiga, a Mesi. Outra vez mais utilizo o Paris Museum Card para entrar. Caímos diretamente na sala em que se alugam os audio-guias. Uma fila gigantesca. Muita gente, mas coloca gente nisso. Pense que era uma terça-feira em baixa temporada. Aquilo nos atordoa. Mas com um mapa nas mãos, começamos a visita ou tentamos. As primeiras salas estão repletas de pessoas, é difícil desfrutar do que se vê, isso quando se vê. Olho para Mesi e vejo que ela sente a mesma coisa: AGONIA!

Palácio de Versalhes

Levamos 15 minutos para entrar no clima. Pouco a pouco fomos nos acalmando para prosseguir. Os cartazes de cada sala dizem o mínimo. Informam pouco. Vamos entre as duas buscando referências para entender o que significou aquele palácio no seu tempo aúreo. Tentando visualizar como se vivia naquele gigante repleto de cores. Um gigante que nasceu pequeno como todos, era mais bem um cabaninha no bosque para caça. Luis XIII afinal decidiu construir uma pequena residência, que de quando em quando recebia sua mãe e esposa para passarem o dia. Mais adiante acabou comprando um castelo nas imediações, resolveu ampliá-lo, só que sua morte fez com que Versailhes permanecesse 18 anos meio “esquecido”.

Palácio de Versalhes

Até que num belo dia, o Rei Luis XIV veio de visita e se apaixonou pelo lugar. Por falta de dinheiro, desistiu de sua idéia de demolir o antigo edifício, e decidiu ampliá-lo. E o lugar que nasceu com vocação festeira, acabou se convertendo na residência oficial. O rei não parava de ampliar e construir novos edifícios, gastando um dinheiro amoado. No climax das construções, chegaram a trabalhar em Versailhes até 22.000 pessoas, afinal se plantou um bosque inteiro! E Luís XV e XVI também ampliaram a área construída, até que em 06 de outubro de 1789 o palácio foi tomado pelo povo.

Palácio de Versalhes

Desde então foi pouco utilizada até sua conversão em museu. Mas nem por isso não foi palco de grandes acontecimentos, como o tratado que pôs fim à Primeira Guerra Mundial e um ataque terrorista em 1978.

Palácio de Versalhes

Era em tamanha história que tentava me concentrar enquanto lutava por caminhar naquele mar de gente. Desta vez, percorri os jardins, mas como era inverno muitas esculturas estavam “embrulhadas pra presente”, hibernando para se mostrar quando o sol aparecesse. As árvores estavam bem magrinhas e descoloridas. Passamos pelos caprichos mas tardios, como o Pequeno e Grande Trianon. Entre caminhadas nos perdemos um pouquinho.

Palácio de Versalhes

Resumo da ópera: foi legal. Só isso? Infelizmente. Ficou a vontade de sentir como outras pessoas, que chegaram a afirmar que o ponto alto de sua viagem parisiense foi à visita ao palácio, mas não posso. No meu caso seria uma mentira das gordas. Foi entretido, e até cansativo, mas não imprescindível. Quem sabe ainda dê outra oportunidade para ser seduzida pelo grandalhão. Talvez desta vez acompanhada por um homem para chamar de meu, e assim eu e o Tom possamos como mínimo utilizá-lo como cenário para fotos ultra-românticas!

Palácio de Versalhes
Ainda hoje, guia prático para visitar o Complexo de Versalhes!

Quer receber mais dicas de viagem ou ficar sabendo quando saem os próximos posts?
Então curta nossa página no Facebook, clicando aqui.
Siga o nosso Twitter @turomaquia.
Veja nossas fotos no Instagram – Turomaquia.

Leia também:
Economizando com o Paris Museum Card
Roteiro de 4 dias com o Paris Museum Card
Saindo do Aeroporto Charles de Gaulle em Paris
Louvre – indicado para redescobrir quão maravilhoso é o ser humano!
Aeroporto de Beauvais – Low Cost Paris
Roteiro por Paris – para flainar pela cidade …

Fotos: turomaquia_2010
Quadro de William Orpen, mostra a assinatura do acordo de paz da Primeira Guerra Mundial (1919)

6 Comentários

  1. Mari Campos - Pelo Mundo

    Eu tenho lindas, lindas lembrancas de quando visitei Versalhes – uma unica vez, e isso da primeira vez que estive em Paris. Adorei. Mas tambem lembro do corpo e dos pes doidos, doidos, doidos ao andar pelos jardins depois da visita ao Palacio (e tambem lembro da fila, enooooorme, pra entrar).

    responder
  2. Patricia de Camargo

    Mari, que jóia ter um depoimento positivo! Eu realmente ainda não tive esta vivência legal do palácio, mas não pensa que desisti heheheBeijos

    responder
  3. Luisa

    Oi Patricia,Eu tenho "meias lembranças" de Versalhes… Cheguei a ir atè os jardins, mas por causa da quantidade absurda de gente, resolvi nao entrar e me acontentei com o lado de fora.Adorei os jardins, mas ainda preciso visitar o palacio por dentro!Bjs

    responder
  4. Patricia de Camargo

    Luisa, você está mais ou menos como eu, ou quem sabe, melhor, porque afinal más lembranças você não tem heheheBeijos

    responder
  5. Suraia

    Concordo com você, agradável, mas nada demais. Estive em 2008. O palácio principal é realmente cansativo (principalmente para quem já havia enfrentado 8 horas de Louvre por duas vezes na mesma semana). E mais do mesmo: luxo, luxo e…. luxo. Só. Nos jardins e nos ´”Domínios da Rainha” pudemos fazer nosso “pic-nic” comme il faut: frios, queijos e vinhos e algumas frutas que levávamos sempre numa maletinha térmica.E andar toda a tarde como se fôramos Maria Antoinete… Isso foi realmente bom! Mas há coisas melhores nos arredores de Paris: o dia passado em Chartres foi realmente mágico.

    responder
    • Patricia de Camargo

      Suraia, é impressionante a quantidade de gente mesmo entre semana e em baixa temporada!

      responder

Siga o Turomaquia no Instagram

Instagram

  • Tristeza pela situação catalã. A região já perdeu mais de 1000 empresas e 15% das reservas turísticas. Tudo por culpa de uma famigerada ideia de um estado paradisíaco, graças à independência. Um artista espanhol definiu bem a situação, "não é Espanha contra Catalunha; é Catalunha contra Catalunha". .
#catalunha #españa #barcelona #gaudi #casabatllo #arte #sadmoments
  • Prá todo mundo que vez ou outra, sente-se imerso neste vagão de trem, sem saber bem aonde vai chegar 🚆
.
#tokyo🇯🇵 #japan🇯🇵 #feelings
  • A obra mais polêmica de GOYA no Top100Arte, lá no meu canal do YouTube - Patricia de Camargo. Também tem link na bio 💚

#arte #goya #historiadaarte #Top100Arte #youtuber
  • Tem tanta coisa prá censurar - corrupção, narcotráfico, crimes de gênero, crimes de ódio, mas tem gente que prefere  ir atrás da arte, "que torna  a vida suportável" 🙁

Todos os autoritarismos começaram desta maneira, indo atrás de artistas. Cuidado com o que você defende!

#Repost @gabi_mariliagabriela (@get_repost)
・・・
SOMOS MUITAS VOZES QUE NÃO ACEITAM A CENSURA E A DIFAMAÇÃO.  #342Artes  #censuranuncamais  #contraacensuraeadifamação
  • Diz aí, não está ficando com vontade de conhecer Gran Canaria? 😉

#lascanterasbeach #laspalmas #iggerslaspalmas #beachlife🌴🌞🌊🏄👌💁 #beachday #beautifulday #grancanaria #laspalmasdegrancanaria
  • E o dia amanheceu assim ... simplesmente perfeito, no quintal da minha casa 🤗

#beautifulday #beachlife🌴🌞🌊🏄👌💁 #lascanterasbeach #laspalmasdegrancanaria #iggerslaspalmas #canaryisland #españa

Follow Me!