• O que fazer em Curitiba
  • Guia Museu do Prado
  • Saiba + sobre o Caderno de Viagens
Posts da categoria: ‘Quem escreve’

Sobre a autora – "lato sensu"

Postado em 15.setembro.2008

Eu nasci no interior do Paraná, e passei os primeiros nove anos da minha vida “viajando” de um lugar a outro. É que meu pai é representante comercial, e íamos de um lado a outro. Cheguei a estudar em duas escolas diferentes em um mesmo ano. E acho que daí foi surgindo esta vontade louca de meter o pé pelo mundo …

Patricia_turomaquia

Eu, Meu irmão Edinho, e meus pais

Com quase 10 anos cheguei a Curitiba, cidade que eu amo. Eu sei que muita gente fala que os curitibanos são meio frios e tal, mas isto é apenas lenda urbana porque as pessoas que vivem em Curitiba são incrivelmente amigas e solidárias.

Na secundária (que, ops, hoje é Ensino Médio) encarei meu primeiro grande desafio, fiz Desenho Industrial no Cefet/Paraná. Lembro até hoje que eu não queria passar na prova de seleção, porque queria continuar no colégio que havia estudado de 5 a 8 série – Positivo. Fiz o teste super rápido, mas aprovei (porque o destino é mais forte que as bobeiras que uma pessoa atravessa em certas fases da vida!).

Do Cefet levei muito conhecimento, o amor pela História da Arte e alguns amigos que levo do lado esquerdo do peito: Meire Odahara, Vara, Landau, e alguns que já não vejo, mas que não me saem da memória: Ale, Kiko, Mauro, Rosane, Mauricio … Sai meio zonza desta fase, e fui morar em Sampa por alguns meses, trabalhei, ganhei dinheiro, e vivi histórias bem bonitas!

Passado este momento, estava na hora de sentar a cabeça novamente. Não sabia bem o que fazer, e acabei em um cursinho – Dom Bosco, que mudou bastante minha vida. Foram anos bastante agitados, fiz vestibulares e entrei em algumas universidades. Por “prova e erro”, acabei cursando Direito na PUC/PR e Artes Plásticas na FAP. Eu fazia Artes pela manhã, trabalhava de tarde e a noite ia para o Direito.

Era super divertido e claro que quando alguém tem 20 anos tudo é realmente possível! Eu na minha santa ignorância pensava que ia trabalhar com os dois cursos (hahahahaha), e claro que ao mesmo tempo! Como vocês podem imaginar não foi bem assim! Quando me formei em Direito, meu quase sogro e quase marido (mas que são amigos para toda a vida!) me convidaram para trabalhar no escritório de advocacia que era de sua propriedade.

Trabalhei seis anos como advogada, com especialidade em direito de família. Eu adorava, não deixei porque estava esgotada ou nada do gênero. É que a vida as vezes dá cada volta … quando eu estava cursando o mestrado (Turismo), encontrei minha antiga companheira do Cefet – Meire – e ela me perguntou se eu queria fazer um teste para o Colégio Expoente. Eles estavam precisando de professor de artes visuais. Eu disse que sim, mas por fazer algo diferente do que por outra coisa, eu nunca havia dado aula, com exceção claro das práticas obrigatórias da faculdade. E passei … comecei tentando levar os dois, o escritório e as aulas. Meu carro parecia um guarda-roupa ambulante. Tinha aula de artes – um tipo de roupa – trocar aonde podia e ir para uma audiência. E na hora de decidir, já estava enlouquecida com o fato de poder ensinar arte para um montão de alunos (tinha grupos de 60 alunos), e optei por seguir como professora de artes.

Alunos_Universidade_Positivo2 Alunos_Universidade_Positivo

E outra vez, de repente mais que de repente, informaram no mestrado que se abriam vagas para o doutorado em Turismo nas Ilhas Canárias. Eu na minha ignorância fui olhar no mapa, na internet, buscando informação sobre este arquipélago. Em 2002, deixei tudo e me mudei (temporariamente) para as Ilhas Canárias. Foram muitas idas e vindas, e em uma destas voltas, comecei a trabalhar como professora de Patrimônio e de História da Arte da Universidade Positivo, e vários amigos nasceram das relações em classe. Meus novos amigos estão espalhados pelo mundo, né Carol, André, Nina, Stefano, Chayane, Carlota, Bruna, Maristela, Katia, Laura, fora os que já foram, já voltaram, e aqueles que irão pelo mundão de meu deus … E num belo dia de agosto de 2004 quando eu já estava pensando em voltar para o Brasil (definitivamente) conheci o Tom, e para encurtar a história, casamos em março de 2007.
Casamento_Turomaquia

Atualmente, vivo na Ilha de Gran Canaria, fui bolsista do Ministério de Indústria, Turismo e Comercio de Espanha, pesquisadora de Turismo Cultural, professora do Master de Turismo da Universidad de Las Palmas de Gran Canaria e terminei minha tese em 2011. UFA \o/

Depois do Doutorado resolvi me dedicar de corpo e alma, ou seja, mais de 10 horas por dia, quase 7 dias por semana ;) ao Turomaquia. Desde fevereiro/2011 este blog é profissional, mas meu objetivo continua o mesmo: contar tudo tintim por tintim para você viajar mais e melhor! Além dos posts, também temos produtos e parceiros.

Para ver nossos produtos, clique aqui.

Conecte comingo no Google+ at +Patricia Camargo Fotos: turomaquia_archivo

Sobre o blog e a editora

Postado em 15.setembro.2007

Sou formada em Direito e Artes Plásticas. Mestre e Doutora em Turismo pela Universidade de Las Palmas de Gran Canaria /Espanha. Atualmente vivo na Ilha de Gran Canaria, porque me casei em março de 2007 com o Tom.

Tento desesperadamente (é verdade!) terminar minha tese que vai de museus e turismo cultural. E sou professora de um mestrado em Turismo. Já terminei minha tese (fevereiro/2011) e por agora deixei a universidade.

Viajo para encontrar e montar histórias, porque segundo Ricardo Piglia todo o que vemos e sentimos pelos caminhos trilhados nas cidades, nos ajudam a contar com palavras perdidas a história de todos nós …

Alunos_gran_Canaria
Com os alunos da Universidade Positivo em Gran Canaria

Para saber mais da minha história, vá ao perfil “lato sensu” ;)

Se ficou intrigado com o nome do blog, clique aqui e descubra o porquê :)

E para ver onde já falaram da gente, clique aqui.

foto: turomaquia_2007 e a foto que chama para este link é da Fotógrafa Andrea Paccini

Últimos Comentários