• O que fazer em Curitiba
  • Guia Museu do Prado
  • Saiba + sobre o Caderno de Viagens
Posts da categoria: ‘Caminho de Santiago Aragonês’

Xacobeo 2010 – Todos os pecados perdoados!

Postado em 23.dezembro.2009

Quer ter todos teus pecados perdoados em 2010? Tem jeito sim, é só realizar o Caminho de Santiago no próximo ano que é Xacobeo! E o que é isso? São todos os anos em que 25 de julho (Dia do Apóstolo Santiago) caem em um domingo. Esta comemoração ocorre desde a Idade Média e foi estabelecida por uma Bula Papal. Se você tem pecados por um tubo aproveita, porque o próximo ano santo será só em 2.021.

Para conseguir a Compostelana, documento que certifica que você realizou a peregrinação, tem que realizar 100 Km a pé, ou 200 Km de bicicleta ou cavalo. Para quem vai a pé, uma semana é mais do que sufciente para fazer os 100Km e curtir dois dias de Santiago. Agora se você tem um mês, realize todo o Caminho Francês. Estando em ótima forma comece caminhando desde Saint-Jean-Pied-de-Port (França). Na primeira etapa vai cruzar os Pirineus, serão cerca de 20 Km de subidona. Não está em tão boa forma assim, comece desde Roncesvalles (Espanha).

O Caminho Francês também pode ser iniciado a partir de Aragão, na Espanha. Mas se é sua primeira vez, melhor optar pelo tradicional com mais infra-estrutura. Apesar de que o Aragonês atravessa paisagens deslumbrantes.

Eu tenho que confessar que resolvi fazer o caminho depois de ler “O Diário de um Mago”, do Paulo Coelho. Já realizei três vezes o caminho. A primeira sozinha, os últimos 100 Km. A segunda com o Tom, o Caminho Francês completíssimo desde França. E a última também com o maridão, algumas etapas do Caminho Aragonês. Em todas elas sofri fisicamente, mas não é balela não, sai fortalecida moralmente. Não é necessário ser católico para realizá-lo. O caminho vai além das religiões dogmáticas, esconde segredos celtas, bruxas, mas a melhor sensação é a da solidariedade que une aos “caminhantes”. E como atravessa a Espanha é uma aula de história e de arte ao vivo e a cores. Mudanças de paisagens, de gastronomia, de ambiente, de gente … Por tudo isso, uma viagem que é uma viagem fora e dentro de si mesma, e entra na nossa lista das 10+ recomendáveis para 2010! Afinal como dizia Antonio Machado …

“Caminante, son tus huellas
el camino y nada más;
Caminante, no hay camino,
se hace camino al andar.”

Para ver todos os posts sobre os caminhos que levam a Santiago (no Brasil conhecido como Tiago) visite nosso índice.
Album Caminho de Santiago
Album Caminho de Santiago
Album Caminho de Santiago

4ª. Etapa: Ruesta a Sanguesa 23,12 Km

Postado em 05.agosto.2008

Andar com bolhas nos pés é uma tarefa árdua! Mas não havia outra alternativa, ao menos necessitávamos chegar a um lugar da onde saíssem ônibus para Pamplona ou Zaragoza. Protegi meus pés como pude, e com um dia lindo e bastante ensolarado deixamos Ruesta, mas a verdade é que a cidade esteve por alguns quilômetros servindo de fundo às nossas fotos. É que Ruesta está em um ponto alto do caminho.
Caminho de Santiago Aragonês Caminho de Santiago Aragonês

A saída de Ruesta, aliás toda esta etapa é bem bonita. Mas de cara já tem subidas e descidas um pouco mais fortes. E quando já se vislumbra o primeiro povoado: Undués de Lerda (a 12 Km de Ruesta) o caminho nos surpreende com os restos de uma autêntica calçada romana. É emocionante pensar que se está caminhando sobre as pedras nas quais caminharam muitas pessoas a mais de 1800 anos atrás!

Já um pouco antes de chegar a calçada romana, eu já tinha desenvolvido uma nova técnica para não sentir tanta dor ao pisar com as bolhas, comecei a caminhar mais rápido, assim cada pé estava menos tempo sofrendo a pressão do corpo, e pressionando as bolhinhas, e para não pensar em nada mais, comecei a cantar, e passei algumas horas cantando, lembrei até de uma canção super velha: “Eu sou nuvem passageira /Que com o tempo se vai/ Eu sou como um cristal bonito/ Que se quebra quando cai ….” (hahahaha)
Caminho de Santiago Aragonês Caminho de Santiago Aragonês

Entramos em Undués de Lerda (tem albergue de peregrinos, é privado e custa 7€), que é um bonito povoado. Bom lugar para tomar algo frio e um sanduíche, e foi o que fizemos. Também na praça(em frente à igreja) tem uma fonte para você encher tua garrafinha de água.

Uns metros depois da saída de Undués, já não estávamos em Aragón, entramos na comunidade de Navarra. Passamos por planaltos cheios de flores, e aproximadamente uns 11 Km depois chegamos à Sangüesa. A cidade é bem legal, tem albergue (donação voluntária) e muitos lugares para comer. Se percebe que a cidade foi bastante importante porque têm muitas igrejas, contamos 4, e não andamos por todo o povoado, porque fazia mais de 38 graus!

Dizem que São Francisco de Assis durante sua peregrinação em 1212 à Santiago de Compostela teria pregado por estas bandas, e fundado em Sangüesa uma comunidade de clérigos. Recomendo que passe em frente ao Palacio de Vallesantoro, um edifício barroco com um impressionante trabalho de talha de madeira na fachada!

Estivemos em Sangüesa umas 4 horas porque só havia um ônibus para Pamplona naquele dia (era domingo). O ônibus nos deixou em Pamplona (em mais ou menos 30 minutos – 3,65€), e pegamos outro para Zaragoza, uma viagem de duas horas, e que custa aproximadamente 11,50€. Os horários são os seguintes:
07:00 h.: de segunda a sábado (por autopista).
07:15 h.: diário (por carretera).
08:15 h.: diário (por autopista).
09:15 h.: diário (por autopista).
10:15 h.: diário (por autopista y carretera).
12:15 h.: de segunda a sábado (por autopista).
13:30 h.: de segunda a sábado (por autopista y carretera).
15:00 h.: diário del 20/06 al 30/09 (por autopista).
16:30 h.: diário (por autopista y carretera).
19:15 h.: diário (por carretera).
20:30 h.: diário (por autopista).

Por carretera significa que utiliza uma estrada secundária, e costuma demorar um pouco mais do que por autopista; e por autopista vai por uma estrada principal, e que costuma ter pedágios e também um maior número de pistas.

fotos by Turomaquia_2008

Uma cidade-fantasma no meio do caminho … Ruestaaaaaaaaaaa

Postado em 02.agosto.2008

Por fim depois do fatídico dia chegamos à Ruesta, uma cidade abandonada. No seu auge contava com 100 casas habitadas, quatro igrejas e dois albergues de peregrinos, mas a construção de uma represa e a falta de perspectiva laboral provocada por sua construção fez com que seus habitantes deixassem a cidade em 1959.
Caminho de Santiago Aragonês

Existem duas versões sobre a história da cidade, alguns dizem que a construção de sua fortaleza foi iniciada pelos muçulmanos no século X, mas outros dizem que não, que desde o início seu povoamento foi navarro. Não posso afirmar qual seja a história verdadeira, mas o que se sabe com certeza é que os navarros a ocuparam no século XI, quando construíram o mosteiro, e que em 1054 o rei navarro concedeu à cidade ao rei de Aragón. Durante os séculos XI a XIII foi uma importante cidade-mercado e também importante parada no Caminho de Santiago.

Nos anos 90, a CGT (Confederação Geral do Trabalho) ganhou uma licença para recuperar a cidade. A CGT com a ajuda do Colégio de Arquitetos de Aragón já reabilitou dois edifícios que se utilizam como albergues. Não é necessário ser peregrino para se hospedar por aqui, a única diferença é no preço. A CGT oferece excursões e cursos para grupos.

Tenho que confessar que quando cheguei pensei que a comida seria meio bandejão, mas qual foi minha surpresa, era um jantar bem legal. De entrada, uma sopa e pão caseiro. De prato principal: salmão (sim, senhores!!!) e de sobremesa: frutas. E se fosse ruim, a coisa tava preta, porque a única opção é o albergue e o bar que eles mantém com terraço e tudo!

Assim, foi a minha primeira noite em uma cidade-fantasma (jejejeje), e havia tanta bolha no meu pé e estava tão cansada que dormi como um anjinho! Realmente eu piso torto, porque sempre tenho bolhas nos mesmos lugares, nas extremidades do pé, horrível! Mas vamos parar com isso porque este é um blog de viagens e não de medicina jejejeje

Foto e video by Turomaquia_2008

A saída para a terceira etapa

Postado em 01.agosto.2008

UAU! Que delícia de dia, a princípio ver o sol radiante te dá uma força danada, e com este espírito pegamos o ônibus até a cidade de Puente de la Reina de Jaca. Vinte minutos e retornamos exatamente ao ponto em que havíamos parado! Mas agora o Tom já tinha um par de tênis novo, lembra que o antigo não aguentou dois dias de caminhada e se abriu inteiro hahahahaha

Nosso objetivo era a cidade de Ruesta, a exatos 31,38 Km, mas o que não sabíamos era que até lá não passaríamos por nenhuma cidade, lanchonete ou viva alma! Passamos a 2 Km de três cidades, mas aumentar 2 Km só para entrar em uma cidade, quando tua meta é de mais de 30 Km, não dá pé!
Caminho de Santiago Aragonês

Assim caminhamos mais ou menos 20 Km sob um sol de 38 graus, e economizando água. Quando fizemos o caminho francês, somente em dois dos vinte e oito dias passamos por etapas em que não haviam bares, lanchonetes, ou o que fosse no meio do caminho, assim para quem vai faezr esta etapa já sabe, o lance é abastecer-se bem antes de começar esta etapa.

Viente e um quilômetros depois de muito sol chegamos a Artieda, uma cidade pequena aonde a única possibilidade de beber algo estupidamente gelado era o bar do albergue de peregrinos. Até que pensamos em comer, mas apenas ofereciam um menu fechado, assim optamos por um sanduíche e quatro cocas colas super geladas, para prosseguir o caminho, que naquele dia parecia com o caminho dos infernos …

Ao voltar à dura andadura, entramos em uma espécie de bosque, e os dois super felizes e tal, pensando: um pouco de sombra e arfresco. Ok, tinha até um pouco de ar fresco, mas tinha tanto mosquito que não dava para ir devagar porque senão eles te atacavam. O caminho era estreito e cheio de zarzas, que em português nós chamamos de silva-de-são-francisco. É um arbusto cheio de espinhos, assim tinha que ir rápido pelos mosquitos e na maior tensão e cuidado pelos espinhos. Foram 5 quilômetros horríveis!
Caminho de Santiago Aragonês

Regresso ao sol, e meia hora depois encontramos à Ruesta, eu não acreditava, estava literalmente morta! Esta etapa não entra (na minha opinião) entre as mais lindas, e eu sofri bastante neste dia. A paisagem é meio monôtona, agora dormir em Ruesta é toda uma experiência!f

fotos e video by Turomaquia_2008

O caminho que quase não começamos …

Postado em 30.julho.2008

Lembram que nós fizemos as duas primeiras etapas do Caminho de Santiago Aragonês?

Em junho, quando voltei à Zaragoza para visitar o Tom, resolvemos realizar mais duas etapas. Queríamos muito terminar o trajeto aragonês, mas infelizmente não tínhamos o número de dias necessários.Dia 21 de junho, saímos da residência para a Estação Delícias, aonde iríamos pegar o ônibus para Jaca. E como só tínhamos duas mochilas pequenas decidimos pegar um ônibus até a Estação Delícias, acontece que na parada que estávamos os ônibus passavam direto porque estavam lotados, é … isto não passa só no Brasil (hahahaha).

Então fomos até a parada anterior, e nada do ônibus passar, e acabamos pegando um táxi. Na chegada à estação, saímos correndo do táxi porque faltavam uns dez minutos para sair o ônibus. Fomos até a plataforma da onde saía o dito cujo, e perguntamos para o motorista se havia lugar, ele disse que não sabia e que tínhamos que comprar os bilhetes na empresa, ou seja, no guichê. Por que fomos falar com o motorista? Porque aqui em muitos trajetos regionais o motorista também vende os bilhetes. Uma senhorita muito gentil e educada (que não devia estar nos seus melhores dias) nos atendeu e disse que já havia encerrado a venda das passagens para aquele ônibus. E o ônibus não lotou, a senhorita gentil não nos vendeu os bilhetes, e nem o super eficaz motorista. Resultado final: perdemos este ônibus!!! Tem gente que pensa que seus empregos são mantidos por Deus, só pode ser isso, porque senão não se explica tanta falta de eficiência!

Eu, aqui entre nós, fiquei meio mal humorada, mas como em outras situações, com o Tom é difícil manter a “mala leche”, como se diz em espanhol. E em poucos minutos já estava rindo à toa. Comemos algo na estação e decidimos encarar o seguinte ônibus que saía em duas horas. O problema era que quando chegássemos o albergue de peregrinos de Jaca estaria fechado, e portanto não sabíamos aonde dormiríamos!???

Chegamos praticamente às onze da noite em Jaca, e como nem tudo pode sair errado, no primeiro hotel que entramos, tinha vaga! (saltando de alegria), e a coincidência é que tocamos na porta do Hostal Paris junto com outros dois peregrinos, e o quarto que havia, eram na real, dois quartos comunicados. Eles toparam dividir conosco, e cada casal pagou 38 euros. E nosso quarto tinha uma bela sacada de frente à belíssima Catedral de Jaca. Começou mal, como será que vai acabar?!

video: turomaquia_2008

Caminho de Santiago Aragonês: A difícil volta

Postado em 27.maio.2008

Vou terminar de contar sobre o caminho aragonês em julho, porque nós fizemos somente estas duas etapas em maio, porque tínhamos que trabalhar (que dureza!). Mas vamos voltar em junho para realizar as três ou quatro etapas que faltam, por quê três ou quatro? Porque dependerá do nosso fôlego!

A verdade é que pensávamos em realizar outra etapa, mas no jantar do final do segundo dia, conversando com uns senhores da mesa ao lado do restaurante (que também eram peregrinos) descobrimos que da cidade que pensávamos chegar no terceiro dia não havia transporte para Zaragoza, Jaca ou qualquer outro lugar. Assim decidimos retornar a partir de Puente de la Reina de Jaca. Mas não foi nada fácil. Primeiro, tivemos que pegar um ônibus para Pamplona, que já está em outra comunidade autônoma – Navarra. E o mais louco era o lugar que esperamos o ônibus – no meio do nada. Em frente a um restaurante, num lugar que o pessoal local chamava de praça?! ( E que aparece no video, aonde o Tom narra sua desilusão com seu par de tênis quase novo que não aguentou dois dias do Caminho de Santiago!).

O ônibus era pinga-pinga, e depois de uma hora e meia chegamos a Pamplona, e como tínhamos 3 horas até sair o ônibus para Zaragoza, demos uma volta pela cidade. Tomamos nosso café da manhã e até visitamos uma exposição de arte contemporânea (para quem não sabe, eu sou meio louca por museo!). Realmente a volta foi meio complicada, mas também muito divertida, porque quando um viaja deve estar aberto para todos contratempos que aparecem no meio do caminho!
Caminho de Santiago Aragonês

foto: Peregrina em Pamplona, em frente ao Centro Cultural – Baluarte
foto e video by Turomaquia Factory 2008

Páginas:123