• O que fazer em Curitiba
  • Guia Museu do Prado
  • Saiba + sobre o Caderno de Viagens
Posts da categoria: ‘Em algum lugar do passado’

Provar um Rochinha – Para fazer antes de morrer

Postado em 27.maio.2012

Um dos prazeres da orla de São Sebastião: provar um ou vários Rochinhas. Minha mãe me apresentou ao dito, com um entusiasmo fora do normal :) Que pensei comigo, “dio santo” é só um picolé! Que nada, é O PICOLÉ. De cara pedi o sabor que meus pais anunciavam como o must: abacate. Nenhum rastro de gordura na língua, e sabor total de fruta.
Picolé Rochinha - Baleia
Picolé Rochinha - Baleia Picolé Rochinha - Baleia

Eu chupei vários em Baleia, nos carrinhos de praia. Mas se quiser garantir a experiência, veja os locais de venda no litoral norte: Continue lendo »

Península de Yucatán – o porquê de uma viagem

Postado em 01.junho.2010

Naquele 1996 pedi pela primeira vez o visto americano, queria ir a New York. Iria com umas das minhas melhores amigas, a Marcinha. Sua prima, a Soraya, tinha outros planos – Cancún. Comentou com a Marcia que se mudássemos de planos, seríamos bem-vindas. Adivinha o que aconteceu? Meu visto não saiu. Para escapar da forte depressão que prometia me arrebatar, aderi a Cancún, sem muito entusiasmo.

Chegamos na noite de 25 de agosto de 1996, chovia. O hotel era genial, a cama gigantesca e apesar da chuvinha, saímos e na primeira noite bailei a “Macarena”. Este foi só começo de uma semana de “infarto”, como se diz por aqui. Os dias foram ensolarados, mergulhei pela primeira vez na minha vida, mas para isso tive que vencer um medo absurdo, conheci sítios arqueológicos maias. E ganhei uma nova amizade, destas tranquilas, que mesmo com os 8.000 quilômetros e o mar por meio, está sempre à espreita.

Cancún - Planet Hollywood
Olha aí toda feliz dançando “Macarena”. A primeira do lado esquerdo.

Continue lendo »

Mochilão Europa chega em Paris

Postado em 18.dezembro.2009

30 de maio
“Estou em Bruxelas. Acordei às 7:00, o café começa a ser servido às 7:30, troquei de blusa, a pretinha estava fedendo. O café é muito gostoso: 2 tipos de pães, margarina, geléia, 2 queijos cremosos e um chocolate dos deuses!

Paguei pelo quarto, a recepção é uma graça, com uma boutique muito fofa. Já deixei reservada duas noites para quando retorne na sexta-feira.

Sai para a estação, e agora achei o caminho com a maior facilidade. Como ainda tinha tempo, fui até o aeroporto e confirmei minha passagem. No trem a caminho do aeroporto encontrei um casal de Curitiba, que mora na Sete de Setembro em frente ao Supermercado Real, umas seis quadras da minha casa!

Na volta consegui pegar o trem para Paris às 09:45. Quase perdi, cheguei na estação às 09:42, ufa! Passamos por bonitas paisagens até chegar em Paris Nord, desci, fiz o câmbio e paguei um roubo de comissão: 25 francos.

Comprei um carnet do metrô = 41 FF, neste carnet vem 10 bilhetes, é mais vantajoso porque cada bilhete simples custa 7FF, e serve para tudo, não só metrô (funicular, metrô, RER, ônibus).

De início me bati um pouco, mas consegui chegar na Cidade Universitária, que tem uma bela entrada. Achei o metrô de Madri mais bonito, limpo e fácil de usar do que o de Paris. Bem, retornando aonde estava, me dirigi à Maison Internacional para perguntar como chegava na Maison du Brésil, quando perguntei, o rapaz me respondeu: “Você é brasileira”. Bem, era o João, que está fazendo doutorado e me levou gentilmente até a Maison. Peguei a chave do quarto com a Celeste, que é uma senhora portuguesa que administra o edifício. Subi, deixei as coisas e fui até o Museu D´Orsay, este museu é BÁRBARO!

Como tinha carteira de estudante paguei 24 FF. Ao entrar é difícil saber para onde olhar, porque o prédio em si já é uma obra de arte. Nele antigamente funcionava uma estação de trem. Vi Monet, Manet, Canova, Carpeaux, Van Gogh, Degas, Renoir, Toulouse-Lautrec, etc… O que mais me surpreendeu: Degas e Monet e claro: Toulouse-Lautrec e Van Gogh.


Le Toilette – Toulouse Lautrec Continue lendo »

Albergues em Bruxelas – Mochilando pela Europa

Postado em 17.dezembro.2009

continua“Cheguei na estação, peguei o horário dos trens para Paris, mas o escritório de turismo estava fechado, sai por volta das 20:15 à cata do albergue. Bruxelas parece bem bonito. Mas nada de achar o tal albergue, perguntei, perguntei, dei voltas e estava ficando meio desesperada, quase dez da noite, foi quando um casal de carro, parou e perguntou se eu estava perdida e me levou até lá!

O albergue é muito bonito, banheiro limpo e o mais diferente, o quarto é misto. Dormi  muito bem e acordei feliz da vida, nada melhor do que se sentir agraciada pela vida e dormir com os anjinhos para ver tudo outra vez cor de rosa!”

Em alguma viagem alguém te ajudou de uma maneira que você não esperava?

Informação prática:
Albergues em Bruxelas
Sleep Well: com quartos: individuais, duplos, triplos e dormitórios de 4 a 8 camas (com e sem banheiro privativo)

Jeugdherbergen – Também oferece quartos individuais, duplos, triplos e dormitórios (para quem vai sozinho e quer privacidade, a opção mais barata é um albergue).

Albergue Juvenil Génération Europe: também oferece quartos individuais, duplos, triplos e dormitórios.

Albergue Juvenil Jacques Brel: também oferece quartos individuais, duplos, triplos e dormitórios, e alguns quartos com banheiros privativos.

Para ver e reservar outros hotéis em Bruxelas, clique aqui.


Mapa com a localização dos albergues juvenis de Flandres

Procurando albergues, olha que bed & breakfast mais legal achei para quem vai de carro e quer ficar mais tranquilo. Os preços são bons – 90 a 100 euros o quarto duplo, e a estância mínima é de duas noites: Maison Bliss

mapa: http://www.laj.be/html/es/albergues/auberges_es.htm

A loucura do Mochilão Europa – 2.218 Km direto de trem

Postado em 16.dezembro.2009

28 de maio
“Pé na estrada outra vez, o três vieram me trazer na estação, eu quase chorei, me deu um aperto no coração! A Anna falando Pati e tudo mais …Peguei um trem para Barcelona às 11:00, um puta trem com TV, fones de ouvido, super rápido: o Talgo, e tive que pagar 600 pts pela reserva. No trem passou uma propaganda sobre a Eurodisney, me deu uma vontade de ir  lá … vamos ver … Comi o patê de atum La Piara, uma delícia! Assisti os filmes: A Roda da Fortuna e Estamos todos bem. Às 7:16 vi o mar outra vez. Cheguei em Barcelona às 18:05 numa estação muito bonita chamada: Sants.

Peguei o trem para Port Bou Cérbere às 19:07, neste meio tempo consegui falar com a Lúcia, e está tudo certo, eu vou ficar com ela em Paris (860pts). Estou em um Intercity muito bonito, também com televisões. Eu e quase o trem inteiro descobrimos que neste trem temos que pagar um suplemento de 1000 pts., assim que a maioria desceu na Calle de Malevada para aguardar o próximo “comboio” que não necessita suplemento.

Conheci uma carioca que namora um italiano e uma mineira – Karen – que faz estágio em Medicina em Lausanne. Chegamos em Cerbere e eu paguei 174 francos para ir dormindo na 1ª. classe, foi uma viagem tranquila. Valeu a pena cada franco gasto com a 1ª. classe noturna!!!

Mochilão Madri relaxado: entre a Plaza Mayor e o jogo de futebol

Postado em 15.dezembro.2009

27 de maio
“A Bete foi trabalhar. Eu, o Raul e a Anna saímos para passear. Desistimos de ir ao Escorial, a Anna ia se cansar muito. Primeiro, fomos cortar o cabelo da Anna. No começo tudo ia muito bem, mas de repente ele abriu um berrero!

Dali fomos na Galeria Preciados, compramos um tênis do Mickey para a Anna, e eu comprei um CD com músicas que haviam sido hits em diversos verões espanhóis.

Então, fomos para a Plaza Mayor, ah! O dia estava sensacional: quente, sem nenhuma nuvenzinha no céu! Na Plaza Mayor visitamos um bar em homenagem ao touro, tinha cada foto PB que era uma loucura. Fotos dos toureiros feridos pelo touro, o touro dando cambalhota … Neste lugar tomei 4 sangrias, comi uma mini palella e camarão ao alho e óleo, como se pode ver foi uma visita cultural gastronômica. Tudo estava delicioso.  Fizemos uma caricatura dos três, o Raul me deu de presente.

Páginas:12345