• O que fazer em Curitiba
  • Guia Museu do Prado
  • Saiba + sobre o Caderno de Viagens
Posts da categoria: ‘Parque Nacional Aparados da Serra’

Parque Nacional Aparados da Serra

Postado em 16.março.2009
Depois de comer fondue e passar à noite em uma das cidades mais românticas do Brasil, o dia amanheceu prometendo muito! Sabe aqueles dias de inverno com céu de brigadeiro? Pois bem era o que tínhamos adiante, felizes caminhamos pelo centro de Gramado, compramos chocolate, pois alguém consegue resistir. A cada esquina uma “chocolataria” com degustação e umas embalagens geniais.

Um pouco antes do meio-dia saímos em direção à Cambará do Sul para o nosso super hotel praticamente quase metido no Parque Nacional Aparados da Serra, que seria nosso roteiro do dia seguinte. Mas naquele dia, a idéia era curtir o hotel e relaxar. A catástrofe da noite já contei neste post. E não foi culpa do hotel, e sim da nossa ignorância, juro!

Então imaginem depois da noite tumultuada e mal dormida como nos sentíamos no dia posterior. Era difícil até se levantar, mas como dois heróis (risos) resolvemos que mesmo assim iríamos ao parque.


Foto que revela nosso estado! Estrada do hotel para a entrada do parque

Uma estrada de terra pequena e chegamos à entrada. Depois de pagar os ingressos, fomos à uma exposição que mostrava como este parque se formou a cerca de 130 milhões de anos e que como as paredes de rochas parecem ter sido aparadas à faca, daí surge o nome do parque. Aliás um parque enorme com canións que se encontram entre o estado do Rio Grande do Sul e o de Santa Catarina. O canion mais famoso é o Itaimbezinho, nome tupi guarani que significa “pedra afiada”, com paredes de até 720 metros de altura.


Na entrada do parque

Vista do Itaimbezinho


Cascata Véu da noiva

Esta belezura já foi até cenário de minissérie global – “A Casa das Sete Mulheres”, e para conhecê-lo você pode escolher entre três trilhas: a do Vértice, a do Cotovelo e a do Rio Boi. A trilha do Vértice é a mais curta e fácil, para completá-la, ou seja, ir e voltar, é necessário uma hora. Já para completar a Trilha do Cotovelo são três horas. Na Trilha do Rio do Boi se caminha pelo leito do rio, e para realizá-la se deve contratar um guia no Centro de Visitantes. Para completá-la são necessárias 7 horas e é de um nível mais avançado, ou seja, para quem está mais acostumado ao “negócio”.

Nós queríamos fazer a do rio, mas como? Tínhamos dificuldade até em caminhar, e foi difícil completar a Trilha do Vértice, que mico, hein!?? Foi uma pena, mas mesmo assim valeu o esforço porque o canión é impressionante, falta um pouco mais de infra-estrutura, mas há lugares para comer, espaços para piquinique, banheiros, centro de visitantes, etc… Pois é, outra maravilha brasileira!


Neste dia não podíamos ver um banquinho …

Informações práticas


Mapa Ibama

Acesso: A melhor base para mover-se pela região é Cambará do Sul. Dá para chegar desde Porto Alegre de ônibus, mas para aproveitar a região o melhor é visitá-la de carro.


Para ver maior este mapa, clique aqui.

Horário do parque
Quarta-feira a domingo – 09:00 às 17:00 horas

Tarifa
R$ 6,00 – por pessoa

Taxa estacionamento
R$ 5,00 – carro
R$ 3,00 – moto

Agência de turismo que vende pacotes para a região
Venturas e Aventuras

Leia também:
Sofrendo um pouco no paraíso – Parador Casa da Montanha
Serra Gaúcha – um passeio rápido
Pelos parques de Canela
Buscando baleias no litoral sul catarinense
Litoral sul de Santa Catarina – entre o rio e o mar …

Destaque post:
Como visitar o Parque Aparados da Serra
Canion Itaimbezinho

Fotos: turomaquia_2005
Mapa: Google Maps
Tags Technorati: , , ,

Sofrendo um pouco no paraíso – Parador Casa da Montanha

Postado em 07.março.2009
Na primeira vez que o Tom visitou o Brasil, fizemos uma viagem de carro por Santa Catarina e Rio Grande do Sul (próxima série do Turomaquia!). Decidimos que em alguma das noites esbanjaríamos mais grana em um hotel mais estiloso, não luxoso, mas diferente. Nós não preocupamos muito com os hotéis porque realmente só usamos estes locais para dormir, assim preferimos gastar (por exemplo) em restaurantes.

Feito o roteiro, e com a dica de um amigo que havia passado recentemente pelo Caniôn do Itaimbezinho, que me disse que aí havia um hotel dentro de uma fazenda, decidimos que este seria nosso ponto alto alojativo da viagem.


Ao fundo, a casa principal e as barracas.

O hotel é o Parador Casa da Montanha. Aonde você pode brincar de acampar em alto estilo, porque eu não gosto muito deste lance de barraca. Mas estas são 13 barracas térmicas com um pequeno banho com vaso sanitário e pia. Os chuveiros ficam na casa principal, assim como uma hidromassagem e duas saunas. As barracas também tem uma espécie de pier de madeira e uma vista do rio Canarinhas e de um grupo de araucárias.


Dentro da barraca

Apenas tinhamos tomado café-da-manhã quando chegamos pela tarde, a estrada era meio complicada, sem asfalto, terra e pedra. Mas valeu a pena todo o esforço, porque o lugar é um paraíso! Deixamos nossas coisas e fomos diretamente andar a cavalo pela propriedade. Meu cavalo era um antigo cavalo de corridas que claramentes sabia que eu não era uma amazonas experimentada e fazia literalmente o que tinha vontade. Desde ir lento, lentíssimo até correr desvairadamente. O passeio foi divertido.

Da cavalgada para a sauna e a hidromassagem. Muitas atividades e quase nada no estômago, já sai meio croque da hidro. Tomamos nosso banho, e saímos com os roupões do hotel (também fornecem as havaianas) para nossa barraca. Vimos da nossa terraça um pôr-do-sol de cine, e nos preparamos para o jantar, incluído na diária. Não tem nada perto, assim se agradece a comida caseira e deliciosa. Mas parece que comemos muito, ou antes de pouco, e passamos mal a noite toda. Assim o que deveria ser nossa noite de “Reis em Santa”, acabou sendo “Dois Deseperados em Apuros”. Mas este tipo de coisa acontece em viagens, não se pode planejar tudo, e depois estas histórias acabam sendo aquelas que relembramos e rimos adoidado. Mas aprendemos, “hay que comer”, mesmo quando numa viagem super empolgante o corpo não te peça nada!

Leia também:
Lençois Maranhenses
Lençois, a lus dos olhos meus …
Chapada Diamantina 3 – Trekking até a Cachoeira do Sossego
Duas cidades em uma: Salvador
Ilha de Boipeba 2

Destaque do post:
Canión Itaimbezinho
Cambará do Sul
Parador Casa da Montanha

Informações Práticas:
Acesso


Para ver o mapa com mais detalhe, clique aqui.A letra B indica o hotel.

Site oficial: Parador Casa da Montanha

Fotos: turomaquia_2005
Mapa: Google Maps
Tags Technorati: , , ,