• O que fazer em Curitiba
  • Guia Museu do Prado
  • Saiba + sobre o Caderno de Viagens

Onde dormir em Aveiro

Postado em 06.maio.2014

A chegada em Aveiro foi linda, um céu azul da cor do mar e uma estação de trem que fazia o par perfeito com o dia. Caminhamos 300 metros até o Veneza Hotel, e a fachada bem cuidada impressionou.
IMG_0855

Aveiro | Portugal
Reserva
Lembrando que agosto na Europa é altíssima temporada, sendo assim fiz a reserva meio tarde, já em maio. Como selecionei uma oferta do consolidador, tive que realizar o pagamento no ato da reserva, e sem possibilidades de cancelamento.

Localização
Prá quem está viajando de trem é ótima, fica bem pertinho da estação dos comboios (trens) e a mais ou menos 1 km do burburinho da ria. Continue lendo »

Aveiro – o que fazer na Veneza de Portugal

Postado em 05.maio.2014

Sei que é jargão, mas o adjetivo gracinha é perfeito para Aveiro. O lugar conhecido como a Veneza Portuguesa, fica a 1 hora do Porto. A cidade nasceu em 959, e passou a vila no século 13, mas viu tudo ir por água abaixo quando em 1750 uma forte tempestade bloqueou a saída da ría ao mar. Se por um lado o comércio despencou, por outro se formaram grandes lagoas de água salgada parada que foram fonte de epidemias. Muita gente morreu, outros deixaram a cidade, que só voltou a erguer cabeça no século 19 quando reabriram sua saída ao mar. E em menos de 100 anos deu a volta por cima, o que é evidente quando se anda por suas ruas cheinhas de palácios modernistas estilo Art Nouveau, ou como os portugueses falam, Arte Nova.

Uma pequena lista de coisas para fazer em Aveiro

1. Prá quem curte arquitetura, o Roteiro Arte Nova é obrigatório. Ou prá quem curte casas coloridas e fotogênicas. O roteiro que começa no centro histórico junto à ría vai além da cidade e chega a percorrer 30 km.

2. Se matar de rir com as mensagens de duplo sentido dos moliceiros. Atualmente estes barcos de 15 metros, construídos em madeira de pinheiro, levam os turistas pela ría. Mas nasceram como barcos para a colheita e carregamento do moliço. Uma planta aquática usada como adubo na região de Aveiro. Para adultos, o passeio custa 5€, e para crianças 3,50€.
IMG_0875 IMG_0970 Continue lendo »

O que ver em Sevilha – Plaza España

Postado em 04.maio.2014

Plaza España - O que ver em Sevilha
Chegada. Primeira reação: respiração profunda. Segunda reação repetida inúmeras vezes: abrir e fechar de olhos. Típico reflexo de quando você fica frente a frente com algo tão grandioso, que chega a pensar que é um sonho. Neste caso um sonho de 50.000 m².

Sevilha é daqueles lugares em que você encontra a maioria dos tópicos espanhóis, ou onde a Espanha se faz mais Espanha. Mas esta praça que acabava de acelerar meu coração mostra que o país vai além de sevilhanas, flamenco e “lunares”, por mais que isso tudo seja importante.

A Plaza España é uma aula de história, arte e geografia. Um espaço suntuoso que rende um zilhão de fotos. A obra originalmente nasce para a Exposição Iberoamericana de 1929, um projeto do arquiteto sevilhano Aníbal González. Sua construção começa em 1914, e só termina 14 anos depois, ou seja, em 1928 \o/

Além de tudo é um lugar poético, já que a forma circular do edifício simboliza o abraço de Espanha, anfitriã da exposição. E o prédio “olha” em direção ao rio, por onde se saía para as Américas.
Continue lendo »

Guia para comprar bilhetes de trem na Espanha

Postado em 03.maio.2014

Viajando de trem na Espanha
Você entra no site da RENFE, a empresa de trens da Espanha, coloca seu destino e origem e em alguns casos aparece um mar de opções. Vamos desvendar os tipos tarifas, classes, serviços e tudo mais que você precisa para viajar de trem pela Espanha. O que aliás é uma maravilha.

Primeira dica, se você não souber de qual estação sai o trem, na primeira tela de pesquisa escolha o nome do destino seguido com um asterisco (Madrid*). Isso faz com que ele escolha a estação correta. Há várias cidades com mais de uma estação, como Barcelona, Madrid ou Sevilha.

Quando apareça o resultado da pesquisa (aqui neste caso é um bilhete de ida Madrid – Sevilha), se você clicar sobre o trem verá de que estação sai, qual chega e suas paradas, ou seja, seu itinerário. Eu sempre copio este itinerário para saber qual é a estação anterior à minha. Isso é meio primordial se tua estação não é a final, e você tenha que descer do trem rapidinho! Continue lendo »

Qual é a melhor maneira de viajar pela Andaluzia

Postado em 02.maio.2014

DSC09167
Quero viajar pela Andaluzia, ok! Mas e daí Patricia, qual é a melhor forma de circular pela região? Minha resposta à esta pregunta é sempre relativa, tal qual a vida, depende ;)

Do quê, seria a próxima questão. Das cidades que vai colocar no roteiro, e do que pretende ver e fazer. Quer ver como, me acompanhe!

1. Se você vai visitar Sevilha, Granada e Córdoba, não precisa alugar carro. Em muitas ocasiões o carro vai mais te atrapalhar do que ajudar. Por exemplo em Córdoba, a maior parte do centro histórico junto à Catedral/Mesquita é de trânsito restringido, e algumas micro ruelas podem assustar os menos experientes.

O melhor deslocamento é o trem ou o ônibus. De trem é só procurar no site da http://www.renfe.com/. Mas veja uns exemplos de tempo e valores, lembrando que para os trens mais rápidos, é importante a antecedência na compra do bilhete. A pesquisa abaixo foi realizada esta semana, para compra de um bilhete de apenas ida, no dia 2 de junho.
madrid-sevilla Continue lendo »

O que ver em Bangkok | Wat Arun

Postado em 28.abril.2014

O “Templo do Amanhecer” ou Wat Arun é visível desde os barcos que cruzam o Rio Chao Phraya. É difícil não tirar a máquina fotográfica da bolsa ao avistar a construção do século 17.
Sin título

Eu colocaria o Wat Arun naquela lista “imprescindível em Bangkok” ;) Os dois pontos fortes da visita são: a decoração exterior e a vista desde a torre. Dito isto, devo confessar que amarelei. Não está entendendo nada, te explico! A subida à torre se dá em dois níveis, acontece que os degraus são pequenos e o pé deve ser colocado de forma lateral, sem contar que a pendente é acentuada. Ok, o que estou tentando é justificar porque não fui até a parte mais alta. Tenho um problema danado com as descidas, mesmo quando estou fazendo trekking. E sem o Tom para me motivar no melhor estilo Rocky, cheguei apenas ao primeiro nível. Onde me esperava uma incrível panorâmica dos templos do outro lado do rio, entre eles Wat Pho e o gigante que abriga o Buda de Esmeralda. Continue lendo »