• O que fazer em Curitiba
  • Guia Museu do Prado
  • Saiba + sobre o Caderno de Viagens

Tanta informação, mas tudo parece tão igual

Postado em 13.novembro.2014

“Cuando nadie me ve
puedo ser o no ser cuando nadie me ve
pongo el mundo al revés
cuando nadie me ve no me limita la piel
cuando nadie me ve
puedo ser o no ser
cuando nadie me ve”
(Alejandro Sanz)

Em tempos de hiper-exposição quanto deixamos de fazer. Porque parece que já fizemos.

Em tempos de tsunamis informativos, já não existe atrevimento. As posições são de extremos, é fácil digitar por digitar, atingir o que parece que não está aí.

Em tempos de copia e cola, talvez nos falte “encerrarse tras puertas abiertas “, escutar nossas próprias ideias e jogar com enquadramentos de vértigo como o fotógrafo Chase Jarvis*.
Chase Charvis
Chase Charvis
* Chase Jarvis: um americano que parecia destinado à medicina, mas que herdou do avô suas câmaras, e descubriu sua paixão fotografando por Europa durante sua viagem do fim do colégio.
Veja mais obras deste artista, no site: http://www.chasejarvis.com

Este post forma parte da coluna: #turopira, publicada toda quinta e sexta-feira!

Quer ficar sabendo quando saem os próximos posts?
Então curta nossa página no Facebook, clicando aqui.
Siga o nosso Twitter @turomaquia.
Viaje com a gente no Google+ – google.com/+TuromaquiaViagens
Inscreva-se no nosso canal no YouTube, e seja o primeiro a ver nossos videos Turomaquia.
Veja nossas fotos no Instagram – Turomaquia.

O que é uma natureza-morta?

Postado em 12.novembro.2014

Na época do barroco e do rococó estavam de moda os quadros que mostravam objetos ou seres já sem vida. Eram quadros com frutas reluzentes, instrumentos musicais, animais mortos, queijos, etc.

juan-sanchez-cotan

As primeiras naturezas-mortas apareceram na Roma Antiga. Podemos vê-las nos murais de Pompéia. Naquela época, deveriam ser o mais real possível, para que os mortos pudessem utilizá-las no “outro mundo”. Continue lendo »

7 cafés para viver experiências incríveis em Praga

Postado em 11.novembro.2014

1. Café Imperial – Café Histórico de Praga

Tudo estava delicioso e tão bonito. Old fashioned no bom sentido. Café servido em bules de prata, copo comprido com água com gás que acompanhava a bandeja do café, a forma que os garçons colocavam na mesa os pães, todo um ritual. Na minha concepção só vale a pena comer fora de casa, quando a experiência é assim extraordinária, ou seja, não ordinária. Eu saio, eu viajo para ver e provar coisas diferentes, e não repetir os procedimentos e sabores diários.

Agora deixa eu contar prá você que este café este ano completa 100 anos! Inaugurado em 1914 como uma instalação a mais do hotel de mesmo nome. O local foi frequentado pelo escritor Franz Kafka e outros tantos intelectuais e artistas.

Ninguém fica indiferente ao interior com seus mosaicos no teto, e para mim o mais impressionante: suas paredes e colunas recobertas de cerâmicas trabalhadas em baixo relevo. Imagina a reação das pessoas ao entrar neste lugar no comecinho do século 20!

Gastamos nos dois cafés completos 300 CZK + 10% de gorjeta = 330 CZK (R$ 37,74). Ah, e não deixe de ir ao toilete ;) as torneiras tem formato de cisne!

Horário: diariamente das 6:30 às 23:00 horas
End.: Na Porící 15, 110 00 Praha 1, República Tcheca
Site: http://www.cafeimperial.cz/en/

Cafés históricos de Praga Cafés históricos de Praga Continue lendo »

Dica de hotel romântico em Praga – Golden Well

Postado em 10.novembro.2014

5-estellas-150pppSubimos uma pequena rua e lá no fundo um portão verde conduzia ao edifício do século 16, residência que Rodolfo II de Habsburgo deu de presente ao famoso astrônomo Tycho Brahe, e que hoje é um dos grandes segredos de Praga, o Golden Well Hotel.
Entrada-Golden Well Continue lendo »

Tudo sobre Berlim

Postado em 09.novembro.2014

Por que ir prá Berlim

Para ler cada post, é só clicar nas palavras em vermelho, que uma nova aba se abrirá em seu computador :)

10 razões para se mandar para Berlim
Continue lendo »

Rafael Sanzio e os anjos mais famosos de toda história da arte

Postado em 08.novembro.2014

viajando na arteO queridinho do Papa e dos romanos morreu cedo. Levava uma vida boêmia e aos 37 anos teve uma morte prematura. Segundo o grande biógrafo de artistas da época Vasari, Rafael Sanzio ficou doente depois de uma noite de sexo excessivo com sua amante Fornarina (abaixo em dois momentos, o primeiro de 1516, e o outro de 1519).
Rafael e sua amante Continue lendo »

Últimos Comentários