Guias de Viagem e Arte

 
 
jul 07 2008

Ir de tapas – Segunda Parte

Na segunda noite de tapas éramos muito mais: aproximadamente 18! E também foi uma noite deliciosa, alguns não eram de Informática, mas havia uma característica comum: todos éramos professores!!! E também esta noite, era a despedida do Tom, depois de três meses trabalhando na Universidad de Zaragoza.

Fizemos o “bote”, ou seja, cada um deu 10 euros e duas pessoas cuidavam da grana e decidiam aonde íamos – Ana Cris e Maite. Sem elas a noite nãoteria sido possível! Iniciamos nosso périplo pela Champiñonería. Quando eu sai do Brasil, como uma ignorante não comia cogumelos. Aqui na Espanha eles preparam os cogumelos de diferentes maneiras, e existem muitos tipos, que acabei viciada! Hahahahaha Nesta primeira parada, o bar somente servia champignones, e eram gigantes! Serviam em cima de uma fatia de pão.

No segundo bar, eles serviram vinho e uma seleção de tapas, mais de desenho. No terceiro bar, também eram tapas surpresas, e eu escolhi uma espécie de empanada de bacalhau! Este bar se chamava Bodeguilla de Santa Santa Cruz, e nas paredes estavam pendurados retratos, roupas de toureiros, etc, etc e etc, vejam por vocês mesmos.

Acabamos a noite, no Gran Café Zaragoza comendo bolos e tomando cafés, e tudo isso por 1 euro mais, ou seja, cada pessoa pagou entre 11 e 12 euros para se esbaldar a noite toda!

O centro histórico de Zaragoza está repleto de bares de tapas. Destaca uma região de ruas estreitas conhecida como “El Tubo”. Deixe-se levar, entre, peça uma tapa, uma cerveja ou vinho e vá pela noite conhecendo a cozinha espanhola e aragonesa!

Fotos: Turomaquia_2008
Foto Gran Café Zaragoza: Revista Telva_2008

Postado por Patricia de Camargo | Marcadores:

Siga o Turomaquia no Instagram

Instagram

Instagram has returned invalid data.

Follow Me!