• O que fazer em Curitiba
  • Guia Museu do Prado
  • Saiba + sobre o Caderno de Viagens
Posts por Patricia de Camargo

Onde dormir no Faro – Hotel Eva

Postado em 24.abril.2014

Hotel Eva - Hotel no Faro
Reserva
Realizamos a reserva através de um consolidador, e como aconteceu com os demais hotéis no Algarve, começamos este processo muito tarde para quem ia viajar na alta temporada. Estamos falando do mês de agosto na Europa quando todo mundo viaja, e daí já viu né, os destinos de praia lotam, e para conseguir um preço atraente o interessante seria começar a reservar entre fevereiro e abril, e nós deixamos para junho :(

Pegamos uma oferta, e por isso tivemos que realizar o pagamento no ato da reserva. Mas era possível pagar um pouco mais e realizar o pagamento diretamente no check-out do hotel.

Localização
Daquelas localizações, que um se olha e diz: “se melhorar, estraga!” Do lado do centro histórico, junto à marina, e em cima da estação rodoviária. Quando entramos no ônibus em Portimão, comentei com o motorista sobre nosso hotel no Faro, questionando se ficava perto da Rodoviária. Ao que ele respondeu, nem se preocupe, fica embaixo. Achei meio estranho, e me contou que o hotel antes era da companhia de ônibus (Eva) e daí seu nome. E não é, que a estaçao estava praticamente dentro do hotel. Mas não faça cara feia, porque não se escuta o barulho dos motores, e isso nem tira o charme do lugar.

Na hora “H”
O check-in foi rápido, agora aqui entre nós, o check-out foi estranho. Tivemos o azar de dar com uma senhora que me tratou mal, e que não encaixava em nada com este hotel 4 estrelas. Daquelas pessoas que deveriam estar em casa, e não de cara ao público, uma pena!

A internet realmente funcionava no quarto, sem problemas. Agora, o melhor deste hotel: a piscina no último andar com uma grande vista da Ria Formosa. Reserve ao menos uma horinha para desfrutar desta parte do hotel, relax total! E também digno de menção o café-da-manhã com vistas da marina e da ria.
O que fazer no Faro - Algarve - Portugal
O que fazer no Faro - Algarve - Portugal

Quarto
Não era enorme, mas também nada daqueles quartos apertadinhos. Limpo, com ótima manutenção, televisão grande e mesa para trabalho. E uma coisa que acho fundamental para não criar caos no quarto, uma banqueta para abrir a mala. O banheiro era bem bonito, e sem cortinhinha de tecido ou de plástico \o/ Com secador de cabelo e amenities.
O que fazer no Faro - Algarve - Portugal
O que fazer no Faro - Algarve - Portugal
O que fazer no Faro - Algarve - Portugal

Ao estar junto à marina, a passos do centro histórico, de cara para a Reserva Natural da Ria Formosa a tranquilidade reinava pela noite.

Relação custo x benefício
Para alta temporada, o quarto duplo com café da manhã tem uma relação custo x benefício ótima. Pagamos 109,23€. Acabo de olhar no booking e há quartos para agosto deste ano por 114€ com café-da-manhã, e com cancelamento gratuito da reserva até 03/agosto. Recomendo e voltaria hoje mesmo, ai que saudade daquela piscina!

Para ler a opinião de outros viajantes e reservar este hotel, clique aqui.
Para ver e reservar outros hotéis no Faro, clique aqui.

Para ler todos os posts do Algarve, clique aqui.

Próximos posts:
Mais um paraíso algarvio – Ilha Deserta
Hotel econômico em Sevilha

fotos: turomaquia_2013

Quer ficar sabendo quando saem os próximos posts?
Então curta nossa página no Facebook, clicando aqui.
Siga o nosso Twitter @turomaquia.
Veja nossas fotos no Instagram – Turomaquia.

Tudo que você precisa saber sobre o Aeroporto de Madri

Postado em 23.abril.2014

Sin título
Locker ou onde guardo minhas malas no Aeroporto de Madri
A primeira novidade conheci no susto. Cheguei em Madri de manhã e queria passear até a madrugada quando saía meu voo. Claro que não tinha a menor condição de ficar andando pela cidade com mala, mochila com computador e demais apetrechos blogueiros.

Como meu voo internacional saía do T2, peguei o ônibus gratuito do T4 para lá, e feliz da vida fui até a “consigna” desde terminal que ficava no caminho para o metrô. Pois bem, primeiro susto, ficava, este guarda-bagagem já não existe :( Triste, mas confiada saí a busca da outra na frente do Terminal 1. Andei prá caramba, e quase enfarto quando vejo o preço. Já não cobravam por locker (armário) mas por volume. E passaram dos 4,85€ para 10€.

Como nunca tinha deixado nada neste locker, montei uma história na minha cabeça, que este era mais caro porque estava num edifício fora do terminal, e decidi retornar ao T4, onde no finalzinho do ano passado tinha deixado as malas dos meus pais por menos de 5€.

A esperança morreu ao olhar desconcertada para a tabela de preços na porta …
0 – 2 horas: 6€
2 – 24 horas: 10€
+ 24 horas: 10€ (a cada 24 horas)
+ 7 dias: 7,14€ (a cada 24 horas)
+ 14 dias: 4,29€ (a cada 24 horas)
E em todos os casos se cobra por volume.

Não conseguia acreditar, até liguei pro Tom para contar minha desgraça (sim, sou melodramática!). No final resolvi encarar, agora o serviço é terceirizado, mas se manteve a passagem de tudo que você vai deixar pelo raio-x. Um conselho, se vai deixar dentro da mala, computador ou outro eletrônico, espere eles passarem no raio-x a mala, e mostre os equipamentos. Eu coloquei os aparelhos antes e tive que tirar tudo de volta, e recolocar :(

O atendimento é ótimo, mas como compram por volume é um tal de abrir e recolocar coisas dos diabos. Ficou caro, muito caro deixar a mala no aeroporto de Madri \o/

Alternativa: ir até Atocha comodamente com o trem (também dá para ir de metrô ou de ônibus) que sai do T4 e deixar as malas no locker da estação junto ao Jardim Tropical, que é bem mais barato. Único inconveniente, o horário, funcionam das 05:30 às 22:20 horas, de segunda a sexta-feira; no sábado das 06:15 às 22:20 horas; e no domingo das 06:30 às 22:20 horas. O locker do aeroporto não fecha. Cobram por dia, por malas pequenas: 3,10€; médias: 3,60€ e grandes: 5,20€.

Hotel
A inauguração do Premium Air Rooms é uma ótima novidade prá quem voa cedinho, ou vem apenas fazer uma escala por Madri. No terminal 4 junto às estações de acesso do metrô e do trem se encontram os 22 quartos. Dá fazer um day use de menos 6 horas, dormir um pouco e tomar um bom banho(por 70€). Ou pegar um quarto para o dia todo e ainda tomar um belo café-da-manhã antes de voar, com diárias a partir de 89€ (para duas pessoas). Também será possível alugar o quarto para uma hora para tomar uma ducha pagando 30€.
Aeroporto de Madrid - Aeroporto de Barajas
Aeroporto de Madrid - Aeroporto de Barajas

No quarto oferecem roupão, chinelos e kit ducha, mini-bar e room service 24 horas, wifi, telefone e televisão. Sem contar os serviços extra como lavanderia. Em breve também no andar das chegadas terão uma espécie de sala vip que qualquer viajante poderá pagar para usar antes de seu embarque.
Para reservar clique aqui, e também para ver a opinião de outros viajantes.
Para ver outros hotéis próximos ao aeroporto, clique aqui.

Mapa-M-30 Táxi
Esta não é bem uma novidade, porque já fazem alguns meses que está em vigor uma tarifa fixa para as viagens de táxi que cheguem ou saíam do aeroporto rumo ao centro de Madri, ou melhor, para qualquer endereço em Madri que esteja dentro da M-30. Que é uma via rápida que circunda o centro da cidade. A maioria dos turistas se aloja dentro deste perímetro. Esta tarifa é de 30€, e não se deve aplicar nenhum suplemento sobre ela, como por exemplo por número de malas.

Comidinhas
Café da manhã delicioso no T4

Para quem chega e quer tomar um café-da-manhã tipicamente espanhol é só ir no Bellota. Terminal: T4. Por 8,95€: café, suco de laranja e um pão com tomate e uma paleta iberica recém cortada e incrível. Fora que o lugar é bonito, e por momentos você esquece que está em um “no place” :)
Aeroporto de Madrid - Aeroporto de Barajas
Lanchonete 24 horas no T4
Se você for passar a noite perambulando pelo aeroporto para um voo que sai de madrugada, o Mc Donalds do Terminal 4 fica aberto a noite toda. Na última vez comi batatas-fritas pequenas + ice tea + bolinhas de peito de frango picante por 3,30€.

Espace Evian no T4
Já na área de embarque, abriram o Espaço Evian que não tive tempo de provar :( Eles prometem comida saudável como sopas, saladas, sanduíches, iogurtes e sucos.
Aeroporto de Madrid - Aeroporto de Barajas

Tomadas
Depois de passar o raio-x é bem fácil encontrar tomadas para carregar seus aparelhos. A maioria se encontra na base das televisões que estão por todos os terminais.
Aeroporto de Madrid - Aeroporto de Barajas Aeroporto de Madrid - Aeroporto de Barajas

Lojas
Tem muita coisa legal que abriu nos últimos meses, inclusive “El Corte Inglés”. Prá quem quer uma bolsa de marca e legitimamente espanhola, tem a Loewe. Se você o que está buscando são cremes legais, depois do raio-x no T4 abriu uma farmácia muito boa com um montão de produtos franceses.
Aeroporto de Madrid - Aeroporto de Barajas
Aeroporto de Madrid - Aeroporto de Barajas

Carrinho para bagagem
Os carrinhos que ficam junto às esteiras já não são gratuitos no Aeroporto de Madri :( agora custam 1€.
carrinho-bagagem

Reembolso de impostos
Ontem o Diego Paiva, do Nós no Mundo, escreveu um post incrível sobre este tema: Reembolso do tax free no centro da cidade, a nossa experiência em Madri. E comentei por lá, que no aeroporto de Madri após passar o raio-x e a imigração, vi no T4S uma sucursal da Global Blue. Até peguei o folheto deles, e descobri que eles também estão presentes nos Terminais T1, T4 de Madri, e no Terminal 1 de Barcelona.
Global Blue

Para saber mais sobre os serviços do aeroporto e as formas de ir para o centro da cidade, leia:
Saindo do Aeroporto de Madri – de metrô
Saindo do Aeroporto de Madri de trem da RENFE
Ônibus 24 horas desde e para o Aeroporto de Madri

Compre agora guia impressão Compre agora guia ebook
Para conhecer o Guia do Museu do Prado, clique aqui.

Road Trip pela Europa – Budapeste

Postado em 22.abril.2014

17-18/08 – HUNGRIA
No dia 16 de agosto pisamos terra húngara e permanecemos até o dia 18. Desde a fronteira entre Croácia e Hungria a caminho de Budapeste existem muitas zonas reflorestadas, vacas e plantações de milho. O aroma no ar me lembrou a Holanda. Nada mais entrar na Hungria paramos num posto de gasolina e Saddam começou provar da gastronomia local, degustando um bolo típico, o Pogácsa.
pogasa Hungria

Às 19 horas chegamos a Budapeste, descansamos um pouquinho no hotel, e depois rua :) pegamos o bonde para o centro da cidade para averiguar como era a noite húngara. A cidade tem muito ambiente noturno, muita gente pelas ruas, comércios abertos até tarde, retornamos ao hotel à 1 da madrugada e os bares e restaurantes continuavam abertos.
Budapeste
Budapeste 2

A cidade é grande mas nos sentimos muito bem por lá, porque não havia caos, aglomerações e reinava um ar intimista mesmo sendo uma cidade cosmopolita. Os monumentos, incluindo as pontes, estão todos iluminados durante a noite gerando uns tons sépia que embelezam ainda, se é possível, o ambiente e a cidade. Os húngaros são amáveis, super altos, magros, e algumas mulheres magras até demais.

No dia seguinte compramos uns passes que nos davam acesso aos ônibus, barcos turísticos por 2 dias (e de forma ilimitada). Pagamos 10 mil florins (uns 37€). Não tínhamos muito tempo para ficar pesquisando outras ofertas e rapidamente nos decidimos por esta, depois vimos outra companhia que por 4€ mais oferecia o mesmo mais jantar no passeio de barco :(

Há muita coisa para se ver em Budapeste, passeamos por toda cidade e vimos maravilhas. Em Buda, a Cidadela, o castelo, as Igrejas Matias, Calvinista e Santa Barbara, o Bastião dos Pescadores e o Palácio Real.
Budapeste 5
Budapeste 13

Em Pest, a Ópera, a Sinagoga Judia, o parlamento, a Basílica de São Estevão, o Museu Etnográfico, a Rua Váci Utca ou Avenida Andráss, o Museu Nacional de Hungria, o Mercado Central, o Museu de Belas Artes, a Praça dos Heróis e o Parque da cidade.
Budapeste 9
Budapeste 12

Também cruzamos a Ponte das Correntes. Onde nos demos um lindo beijo sobre o rio Danúbio, que romântico ;) Deixamos o passeio de barco para o entardecer. Foi incrível ver todos os monumentos que se encontravam às margens do rio cobertos pelos últimos raios de sol.
Budapeste 15
Budapeste 16
Budapeste 18

Terminamos nossa visita à Budapeste passeando pelas ruas centrais onde brincamos em fazer bolhas gigantes de sabão, e já famintos demos com um restaurante chamado “Pasta Manufaktura” que servia pasta sem glúten, e assim fechamos com chave de ouro nosso “tour” pela cidade.
Budapeste 17

argumento, texto e fotos: Daniele Leoz – 2013

Quer ficar sabendo quando saem os próximos posts?
Então curta nossa página no Facebook, clicando aqui.
Siga o nosso Twitter @turomaquia.
Veja nossas fotos no Instagram – Turomaquia.

Como é Bangkok?

Postado em 21.abril.2014

Bangkok é puro Vangelis. Foi só colocar o pé no Sky Train e ver pela janelinha aqueles cartazes publicitários com imagens em movimento, para que meu coração acelerasse e gamasse. Quase perdi minha estação porque na minha cabeça ressoava toda a trilha sonora de Blade Runner. A pele alva quase irreal dos meus companheiros de trem aumentava minha sensação de formar parte daquela Los Angeles de 2019, criada por Philip K. Dick e levada as telas em 1982 por um jovem Ridley Scott.

Tal qual no filme, a Bangkok real é puro contraste. Os anúncios luminosos e o silêncio dos templos convivem com uma facilidade difícil de ser compreendedida por uma mentalidade católica-latina como a minha. E da mesma maneira, casas que se desmoronam junto a hotéis majestuosos, e quando digo junto, é junto mesmo. E a casa que desmorona nem choca já que convive de cabeça erguida com a prima milionária.

Uma montanha de gente com suas cozinhas portáteis pelas ruas, alimentando a diário outra gente que anda com suas motos de lá prá cá. As ruas cheiram a um bom restaurante chinês.

A cidade não é suja como muitos já escreveram, mas tampouco está impoluta a ponto de parecer fake. Até porque Bangkok é muito real, e esta quase incoerência é o que me enlouqueceu de cara. Porque ao mesmo tempo parecia uma cidade saída de um filme de ficção científica! Ok, super incoerente, né? E quem diz que paixão é lógica?

Para entender, pense no louco que é a cena em que soa “One more kiss, dear” em Blade Runner. É deste tipo de constraste que eu falo, deste que quase gera uma pane no teu computador, porque convivem elementos que a princípio nem deveriam se aproximar \o/

Tive que respirar fundo diversas vezes, porque perdia o fôlego com aquela gigante que me envolvia. Mas não me senti insegura em nenhum momento. Apenas cansada pela avalanche de elementos visuais que não entendia, e que tentava inutilmente racionalizar.

Para sentir a sutileza da cidade é necessário ir lento, para cruzar o dourado, o rosa choque e o lilás ostentoso. E olha que não é fácil, porque tudo é tão diferente que o mais comum é ficar nesta superfície, não ultrapassar o limite do exótico. Mas quem se permitir um andar quase que preguiçoso vai dar com os detalhes, como pequenas pétalas de cerâmica que criam o corpo de um singelo grupo de cabras. Outro baita contraste, a sutileza e o excesso.

Como em toda cidade com mais de 8 milhões de pessoas, há gente de todo jeito, que se irrita porque teu ritmo de turista é meio inoportuno. Outra que rie prá você, um que para tudo prá te mostrar o caminho correto. Li muito sobre os “golpes da cidade”, e não sei se foi sorte de principiante ou falta de tempo, mas não passei por nenhum perrengue. Bangkok se comportou comigo como uma lady, às vezes meio marota, mas sempre uma lady ;) Ou melhor, como uma daquelas mademoiselles que se guardam mil e um segredos.

Enfim, como você já deve ter percebido, cai de amores por BKK. E prá terminar com recordações sonoras, acho que tem tudo a ver as imagens de Bangkok com o tema “C´est Le Vent”, de Gabriel Yared, para o filme “Betty Blue”. Aperte o play e desfrute ;)

Sin título
Como é Bangkok Como é Bangkok
Como é Bangkok
Como é Bangkok Como é Bangkok
Como é Bangkok
Como é Bangkok
Como é Bangkok Como é Bangkok
Sin título Sin título
Como é Bangkok
Como é Bangkok

Quer ficar sabendo quando saem os próximos posts, e receber mais novidades?
Então curta nossa página no Facebook, clicando aqui.
Siga o nosso Twitter @turomaquia.
Veja nossas fotos no Instagram – Turomaquia.

fotos: turomaquia_2014

Como faço para ir dos terminais 1, 2 e 3 para o T4 no Aeroporto de Madri

Postado em 20.abril.2014

Muita gente já me fez esta pregunta, e na minha última passagem pelo Aeroporto de Madri vi muito viajante perdidaço. Assim resolvi que o melhor era criar um post com fotos para este tópico.
Aeroporto de Madrid - Aeroporto de Barajas

Primeiro de tudo, o transfer é gratuito e 24 horas. Nos horários de pico um ônibus passa a cada 5 minutos, depois a frequência diminui para 10 minutos, e na madrugada para 20 minutos.

No T1, T2 e T3 a parada do ônibus está do lado de fora do terminal na zona de embarque, e no T4 na zona de desembarque. É fácil encontrá-la, é só seguir o sinal onde aparece um ônibus mais as palavras: Transito/Bus/Connecting.
Aeroporto de Madrid - Aeroporto de Barajas

Um pequeno poste com um cartaz onde se lê “Bus Transit” assinala o local da parada. Dentro do ônibus cada parada é anunciada em espanhol e inglês pelo sistema de som.
Aeroporto de Madrid - Aeroporto de Barajas
Aeroporto de Madrid - Aeroporto de Barajas Aeroporto de Madrid - Aeroporto de Barajas

Os terminais T1, T2 e T3 estão interligados, portanto dá para ir caminhando de um para outro. Já o T4 está apartado. Se você for embarcar no T4S, isso significa Terminal 4 Satélite. Mas não se preocupe, é só ir até o T4 fazer o check-in, e as placas te guiarão até o trem que te levará ao T4S.

Para saber mais sobre os serviços do aeroporto e as formas de ir para o centro da cidade, leia:
Saindo do Aeroporto de Madri – de metrô
Saindo do Aeroporto de Madri de trem da RENFE
Ônibus 24 horas desde e para o Aeroporto de Madri

fotos: turomaquia_2014

Compre agora guia impressão Compre agora guia ebook
Para conhecer o Guia do Museu do Prado, clique aqui.

Road Trip pela Europa – Sarajevo

Postado em 16.abril.2014

15/08 – BÓSNIA e HERZEGOVINA
No dia 15 de agosto por volta das 18:00 horas chegamos a Sarajevo, e por sorte entramos por um erro nosso em umas ruas com as marcas de guerras em uma série de edificações abandonadas, ques e encontravam “camufladas” detrás de umas árvores. Panorama bem diferente da entrada da cidade que é totalmente nova, ampla e moderna.
Bosnia 6
Bosnia 5
bosnia

Quanto mais entrávamos em Sarajevo, mais aumentava nossa surpresa, já que das últimas capitais que visitamos (Tirana/Albânia, Pristina/Kosovo e Podgorica/Montenegro), sem dúvida nenhuma, Sarajevo era a mais formosa e a única que nos pareceu autêntica. É uma cidade com aproximadamente 305.000 habitantes, e a mais povoada de Bósnia e Herzegovina, e esta região esteve habitada desde a pré-história.
sarajevo
Sarajevo 2

Vimos pela cidade edifícios danificados por morteiros e metralhadoras, e o Ponte Latino, onde se produziu o atentado de Saravejo em 1914, que levou à morte do arquiduque Francisco Fernando de Austria, e desencadenou a Primeira Guerra Mundial.

A cidade está repleta de monumentos, como mesquitas, igrejas, a Basarsija, a Universidade, o Teatro Nacional, o Museu Nacional de Bósnia e Herzegovina, que são bastante respresentativos da velha e da nova cultura do país.
Saravejo 6 Saravejo 4

O centro histórico está repleto de lojas e bares que ficam abertos até tarde da noite. A cidade me lembrou muito a León, já que lá também os cidadãos se misturam com os turistas, não há propriamnete “guetos” de um ou do outro lado, e isso é o melhor!
Saravejo 5

Fiquei com vontade de passar mais dias por lá e conhecer mais a fundo a cidade e sua cultura, e outras partes do país. E como Carolina (nossa filha) ainda não conhece o lugar, já temos uma boa desculpa para voltar ;)

Curiosidades Bósnia e Herzegovina: muita gente fala alemão, o que também é algo comum em Kosovo e Albânia. O carro que mais vimos circulando pelo país foi o Golf.

Para ler o primeiro post da série, clique aqui.
Seguinte post: Hungria

argumento, texto e fotos: Daniele Leoz – 2013

Quer ficar sabendo quando saem os próximos posts?
Então curta nossa página no Facebook, clicando aqui.
Siga o nosso Twitter @turomaquia.
Veja nossas fotos no Instagram – Turomaquia.

Últimos Comentários